Alimentação e nutrição atreladas ao combate ao sedentarismo

Alimentação e nutrição atreladas ao combate ao sedentarismo

Tempo de leitura:3 minutos

Uma alimentação saudável e balanceada é capaz de gerar diversos benefícios para o corpo humano, inclusive emocionais. Ter uma dieta balanceada e nutritiva é um fator determinante para evitar agravos e doenças crônicas ao longo do tempo.

Inclusive, uma boa alimentação garante melhor qualidade de vida em conjunto com melhor funcionamento biológico, prevenindo doenças e fortalecendo o nosso sistema imunológico.

Em relação ao seguimento de dietas, existem vários tipos e métodos a serem seguidos, como a dieta low carb, a paleolítica, a DASH, a dieta intermitente, etc. O importante é saber que cada pessoa se adapta de uma forma diferente com sua alimentação e que todas as dietas – sem exceção – devem ser acompanhadas por um nutricionista.

Para uma alimentação saudável em si – sem seguir especificamente nenhuma dieta – podemos sugerir algumas dicas:

 

  • Limite a ingestão de gorduras saturadas – As gorduras saturadas são sólidas e danosas para a saúde. Podem ser facilmente encontradas em alimentos gordurosos, como queijos amarelados, carnes gordas e alimentos embutidos. O consumo em excesso deste tipo de gordura eleva o risco de problemas cardíacos e circulatórios, como, por exemplo, o infarto.
  •  
  • Controle a sua ingestão de gorduras – Embora a gordura saturada seja danosa para a nossa saúde, não significa que todas as gorduras devem ser evitadas a qualquer custo – inclusive, podem ser até benéficas em algumas situações. Para consumir gorduras mais saudáveis, opte por uma fonte melhor: abacates e azeites são exemplos de gorduras que, com o devido controle, podem fazer bem ao nosso organismo.

  • Reduza a ingestão de açúcares – O açúcar é um alimento potencialmente perigoso para a nossa saúde em geral, podendo causar certa dependência e sendo um forte propulsor ao desenvolvimento de doenças, como o Diabetes Tipo II. Todavia, isso não significa que devemos cortar completamente os doces de nossa vida – um controle adequado das quantidades nos permite livre escolha de consumo de diversos alimentos! 

  • Reduza o sal em sua alimentação – Assim como os outros alimentos citados anteriormente, o consumo de sal é muito importante para a nossa saúde, desde que seja feito de maneira adequada. O excesso de sal em nossa alimentação, ao longo dos anos, pode gerar um quadro crônico de hipertensão arterial (popularmente conhecida como pressão alta) e, progressivamente, causar agravos à saúde do nosso coração.

  • Invista em alimentos naturais – A natureza é bem completa no que diz respeito a nutrientes em seus alimentos. Optar por alimentos naturais é uma ótima escolha quando se prioriza uma alimentação mais saudável, pois a presença de vitaminas, minerais, fibras, gorduras boas e proteínas é garantida! 

  • Desenvolva gosto pela cozinha e seus alimentos – Ao contrário do que se prega popularmente, desenvolver gosto pela comida é essencial para manter uma alimentação mais saudável. Isso dá-se pelo fato de que não devemos, de maneira alguma, vilanizar qualquer tipo de comida e nos privarmos de tudo que gostamos. O ideal é que sempre tenhamos a disciplina de comer em proporções corretas, distribuindo a alimentação de maneira diversa – atitude que pode ser muito enriquecida pelo desenvolvimento de novos gostos culinários.

O acompanhamento com um profissional capacitado na adoção de novos hábitos alimentares é fundamental. O público, de maneira geral, não consegue fazer o exato balanço de proteínas, nutrientes, carboidratos e demais substâncias que encontramos em nossa comida para manejar de maneira adequada uma dieta. 

Em conjunto com a adoção de um hábito alimentar mais saudável, nosso corpo estará fortalecido e preparado para o combate de um comportamento nocivo que atinge grande parte da população mundial: o sedentarismo. 

Por sua vez, o sedentarismo caracteriza-se pela falta de atividades físicas na rotina de uma pessoa, em qualquer faixa etária. Entretanto, não diz respeito somente a pessoas que ficam inertes o dia todo, sem realizar qualquer movimento. 

O sedentarismo, de acordo com o Guia de Atividade Física para a População Brasileira (MINISTÉRIO DA SAÚDE), também envolve atividades realizadas quando se está acordado, sentado, reclinado ou deitado, gastando pouca energia. Essas atividades são geralmente realizadas em frente a alguma tela, mas também acontecem frequentemente no deslocamento físico de um lugar para o outro no qual nos mantemos sentados (no carro ou transporte público).

Esse hábito de gastarmos pouca energia em nossas atividades durante o dia é extremamente danoso para a nossa saúde. Sem o gasto de energia, o corpo humano tende a armazená-la em forma de gordura, potencializando o desenvolvimento da obesidade e outras doenças crônicas que as acompanham, como a Diabetes, doenças cardiovasculares e câncer.

Dito isso, é importante que uma alimentação saudável e a atividade física sejam práticas complementares, sendo que ambas influenciam no nosso quadro de saúde da mesma maneira. Ou seja, realizar um sem fazer o outro diminui consideravelmente nossos resultados. 

O sedentarismo não é uma doença em si, mas um propulsor ao desenvolvimento de algumas doenças. Portanto, para que consigamos manter uma vida mais saudável, é importante combatermos o sedentarismo no nosso dia-a-dia, mas como fazer isso?

Primeiramente, é muito importante que haja uma mudança significativa em nossos hábitos diários, adotando um estilo de vida mais saudável e começando pela visita ao médico, para termos melhor noção de nosso quadro de saúde. 

Após isso, a adoção de exercícios deve ser incorporada em nossa rotina. Para isso, devemos reservar pequenas parcelas do nosso dia para nos movimentarmos (mesmo que seja um pouquinho de cada vez, para adaptarmos o nosso cronograma inicialmente). Aos poucos devemos aumentar a intensidade e o tempo de cada exercício. 

Para que isso funcione, é importante que saibamos selecionar corretamente o tipo de exercício que devemos realizar, optando, primeiramente, por alguma atividade que nos dê prazer. Realizar qualquer tipo de atividade que não nos agrega psicologicamente, além de ser mais difícil, colabora para que abandonemos essa prática e torne uma próxima readequação ainda mais complicada. 

Mesmo que não haja muito tempo, a pequena adequação de atividades (mesmo que por dez minutos algumas vezes no dia, inicialmente) em nossa rotina é essencial para que consigamos dar início a esse novo hábito. 

Em conjunto, uma boa alimentação e introdução a exercícios físicos – ambas práticas acompanhadas por seus devidos profissionais da área da saúde – são hábitos que colaboram muito para uma melhor longevidade com extrema qualidade de nossas vidas.

BIBLIOGRAFIA

ARAÚJO, D. Sedentarismo: o que é, quais são suas causas e consequências. Disponível em: <https://beecorp.com.br/sedentarismo/>. Acesso em: 11 mar. 2024.

Comportamento Sedentário. Disponível em: <https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-brasil/glossario/comportamento-sedentario>. Acesso em: 11 mar. 2024.

HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN. 11 dicas imperdíveis para ter uma alimentação equilibrada. Disponível em: <https://vidasaudavel.einstein.br/alimentacao-equilibrada/>. Acesso em: 11 mar. 2024.

Benefícios de uma alimentação saudável. Disponível em: <https://www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br/beneficios-de-uma-alimentacao-saudavel/>. Acesso em: 11 mar. 2024.

Newsletter imagem de fundo

Assine nossa Newsletter!

Notícias do setor e as últimas novidades da Alper Seguros em primeira mão para você: